mai
9
2011

Fascinante Berlim

Nem sei como começar esse post. Só sei que resolvi escrevê-lo porque finalmente assisti OPERAÇÃO VALQUÍRIA e senti a mesma emoção de uma das vezes que estive na Alemanha a trabalho e visitei o Muro de Berlim, em 2009. Uma emoção triste… chorei à beça. Mas não quero que seja um texto triste, quero que seja uma homenagem ao povo alemão… aquele povo alemão que nunca se conformou com a barbárie de outros compatriotas que eram fiéis ao regime nazista.

BERLIM é linda, respira história. Seu povo também é bonito, solícito e parece que está sempre pedindo desculpas pela vergonha de seu passado. Fiquei hospedada na antiga Berlim Oriental, na Landsberger Allee, e trabalhava na Ocidental, no Messe Berlin. É visível a diferença entre as duas partes: uma muito mais moderna e evoluída (ocidental) e a outra mais cinzenta e antiga (oriental), mas não menos bonita.

Levei uma surra até entender e não confundir as estações de trem e metrô, as S-Bahn e U-Bahn. O pior era meu colega de trabalho Matheus, que como todo bom homem não admite ser “guiado” por mulher e muito menos pedir informação… aí que eu sofria, rsrs. Não tem nenhuma catraca ou roleta para os trens e metrôs e seu ticket vale para andar em determinadas ”zonas”… Comprou para AB, não ande na BC e nem perca seu ticket, pois sempre rola um fiscal. Se ele te pega na clandestinidade a multa é alta!

Uma das coisas mais interessantes que achei foi o sinal de trânsito para pedestres, o AMPELMÄNCHEN. É um símbolo (machista) da Alemanha Oriental e, após a queda do muro, foi introduzido em toda a Alemanha unificada. Isso gerou um certo “protesto” dos orientais, que tinham os homenzinhos (um verde e um vermelho) como mascote. Fora que tem várias teorias sobre a posição deles: o vermelhinho tem as pernas grudadas e braço em posição de impedimento (sugerindo o muro) e o verdinho como se estivesse marchando. Foram criados em 1961, justamente a data da construção do Muro.

A comida é outro assunto interessante. A gente acha que está acostumado a comer comida alemã, só porque temos descendentes aqui, né? Ledo engano. Depois do 3º dia você não vai mais aguentar comer chucrute, salsicha com mostarda e joelho de porco! Hehehe… é tudo uma delícia, mas é muito forte. Confesso que cometi um pecado: Por medo de comer coisas que eu não entendia o nome e já meio enfastiada, teve um dia que comi Burguer King de frango com batata frita…

Uma coisa que é muuuito legal é a canequinha de cerveja… tem de meio litro e de 1 litro. Ninguém toma “tulipa” não. Lá o sistema é bruto, rsrs. Fora que por todo lado tem um Biergärten, que são áreas com barzinhos. Algo como “Jardim das Cervejas”… show!

Tivemos um dia de folga para bater perna. Fiz um roteirinho no meu mapa e tentei conhecer o máximo de coisas possível. O que eu tinha que fazer de qualquer jeito era passar pelo Checkpoint Charlie (dica da amiga Cibele Moulin), rumo ao Muro de Berlim. O Checkpoint Charlie foi o mais famoso posto de passagem de não-alemães, Forças Aliadas e de alguns ocidentais sortudos que podiam ir para o lado oriental em ocasiões especiais, mas não vice-versa. Os alemães do lado oriental eram proibidos de visitar o ocidente, imagino eu que pelo medo de eles querem ficar por lá, rsrs.  Bem, lá o turista por ter o passaporte carimbado, como se você tivesse passado realmente pelo posto, pela bagatela de 2 euros. Além de ter um visto, da época, para permanecer na Alemanha Oriental.

A situação deixa de ser engraçada quando você se depara com o que sobrou do Muro. Parece que você sente o peso da história. É uma sensação estranha de curiosidade, tristeza, compaixão. Na época estavam construindo a TOPOGRAFIA DO TERROR (já inaugurado), um centro de documentação no local onde foram interrogados e torturados mais de 15 mil pessoas que faziam oposição ao regime nazista.

De lá do Muro seguimos para Potsdamerplatz que é um marco da nova Berlim, moderna. O prédio da Sony Center é uma prova disso. No PORTÃO DE BRANDEMBURGO, símbolo de Berlim, foi uma festa. Tem dois caras vestidos de guardas, um de americano e outro de soviético. Aí você dá uma graninha, põe um quepe e tira foto com eles. Muuuito coisa de turista.

Eis que chegamos ao Parlamento Alemão. Suntuoso! Fiquei um tempo admirando e pensando em tudo o que pode ter acontecido a partir daquele lugar. Mas, para não fugir à regra de uma boa turista, fui numa lojinha ali na frente fazer compritchas. Comprei umas coisinhas e uma bolsa lin-da… que esqueci no metrô oO. A sacola com meus pertences devem estar até hoje rodando dentro do metrô, porque europeu sempre acha que pode ser bomba, né? Rsrs. Ainda volto lá pra procurar minha bolsa no achados e perdidos do U-Bahn… vai quê.

Por último, fui até o Zoológico, mas não entrei por falta de tempo. Dali dá pra ver a Igreja Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche, que quase foi destruída na SEGUNDA GUERRA. Ela não foi restaurada, ainda está em ruínas para que os erros do passado sejam lembrados e jamais repetidos.

É isso. Berlim é um mergulho na história mundial. Fascinante.

Se quiser ver mais fotos da minha viagem a Berlim, clique AQUI.

Posts Relacionados

Sobre o autor: Débora Bordin

Tenho mais (bem mais) de 30, sou jornalista (diplomada), radialista, blogueira, especialista em comunicação empresarial e de turismo sustentável, sagitariana, corintiana, matucha-pantaneira-carioca e turista. Apesar de tudo isso, uma boa moça.

11 Comentários+ Comentar

  • Nossa, quando estive em Berlim pedi um joelho de porco, só que o meu veio o dobro do tamanho do seu, rsrs. Achei que pelo fato de ser barato, seria pequeno. Ledo engano, rsrs. Show de bola o seu post, parabéns. Abraços.

    • Rsrsrs, verdade Johnnie!
      E além de enorme é saboroso, né?
      Obrigada pela visita ao blog :)

  • Berlim, Cidade de Passado, Presente e Futuro.

  • Adoro Berlin… Já faz um tempinho que a visitei pela última vez… Mas como nos dois concordamos a cidade respira história

  • What you’re saying is completely true. I know that everybody must say the same thing, but I just think that you put it in a way that everyone can understand. I also love the images you put in here. They fit so well with what you’re trying to say. I’m sure you’ll reach so many people with what you’ve got to say.

    • Thanks!
      The things that I said, came from my heart :)
      Best regards!

  • Adorei a citação amiga! Berlim sem dúvida é fascinante! Compartilho as mesmas sensações que voce teve. Nunca vivi uma experiência de visitar um lugar que carregasse tanta história dessa forma. Dá até um arrepio na alma, mas isso é bom. Bjo grande, continue escrevendo!

    • Obrigada, Cibs!
      Foi muito bom relembrar Berlim.
      Sem falar dos tombos sem derramar o drink, né? rsrs
      Que venham outros momentos! :D

  • Lá tem uma rua chamada Karl Marx. Você visitou?
    Acho que seria uma viagem triste pelo frio e pelo peso que a cidade carrega. Ou não, né? Tem cerveja…rsrsrs
    Ficou ótimo…

    bjs

    • Não fui por falta de tempo, Cassita.
      Mas #ficadica pra uma próxima vez :D

Leave a comment to Isabela Santos