jul
28
2014

Foz do Iguaçu: a Garganta do Diabo é coisa de Deus

20140606_120935

Finalmente conheci Foz do Iguaçu. Digo isso porque moro perto (para os parâmetros brasileiros), tenho amigos por lá e falta de convite nunca foi. Mas as coisas acontecem quando têm que acontecer. E foi incrível.

20140605_093934

A viagem a Foz (PR) foi a trabalho, mas aproveitei o tempo vago e aceitei o convite de um amigo querido para conhecer, junto com outros jornalistas e blogueiros, a Usina Hidrelétrica de Itaipú Binacional e, claro, as cataratas. Os dias eram frios e chuvosos, e ainda corríamos o risco de não ver nada por conta da cerração. Mas, guerreiro que é guerreiro tem fé.

20140605_093357

Acordei cedo numa quinta-feira, esperei a carona do amigo e partimos para a minha primeira agenda: usina hidrelétrica. Algumas pessoas podem achar que visitar uma usina não é lá um passeio turístico dos mais tradicionais, mas se enganam.

Itaipú Binacional

A coisa é tão grandiosa e linda que a vontade que dá é de ficar admirando de boca aberta, igual criança, e pensando como o ser humano é capaz de construir algo tão tão tão… Só pra se ter uma ideia, e caso os senhores não saibam, Itaipú é a maior geradora de energia limpa do planeta.

Itaipú Binacional

Como nem tudo é festa, trabalhei da tarde até o início da noite e, como também nem tudo é trabalho, a noite “foi dia” de Argentina. Posso dizer que conheci a Argentina mesmo só tendo atravessado a fronteira para ir a um restaurante? Pois bem, então conheci a Argentina. O restaurante El Quincho del Tio Querido fica em Puerto Iguazú, tem música ao vivo e comidas típicas. Só é ruim de decifrar o cardápio, mas se você ficar na dúvida pergunte ao garçom (em portunhol mesmo) qual o prato que mais sai na casa. Foi o que fiz pra não errar.

El Quincho

Sexta-feira. Acordei animadíssima apesar do frio e da chuva (lembrei do lance do guerreiro), esperei minha carona amiga e partimos para a agenda da manhã. A primeira parada foi o Parque das Aves. Um parque com várias aves da Mata Atlântica resgatadas do tráfico de animais, apreensões, maus tratos ou mesmo as que não podem mais viver na natureza.

20140606_095709

Elas são tratadas para que se recuperem e sobrevivam com os cuidados necessários. Como muitas não têm como serem reintroduzidas à natureza, encontram nesse parque a sua casa e aproveitam para fazer a alegria dos ávidos turistas em busca de uma bela foto. Fiquei triste, pois sou acostumada a ver aves na natureza. Cortou-me o coração ver uma revoada de araras tendo que parar por causa da tela de arame. Mas feliz de certa forma por elas serem tão bem cuidadas e queridas pelos monitores e turistas.

Cataratas do Iguaçu

Saindo dali o próximo destino era… tcharam… o Parque Nacional do Iguaçu! O passeio foi por uma trilha, que começa em frente ao Hotel das Cataratas (lindíssimo). A trilha tem vários mirantes de onde já se vê de longe, mesmo com a neblina intensa, a imensidão de águas que caem formando as cataratas.

20140606_113400

A cada mirante um flash. A chuva apertando, mas e daí? Quanto mais íamos chegando perto da passarela, mais a cerração ficava intensa e nos molhava. E a ideia é se molhar mesmo, sentir a natureza com toda sua força. Até que cheguei lá. Na Garganta do Diabo.

20140606_113559

É indescritível a sensação de estar tão perto daquele turbilhão de águas, com um barulho tão ensurdecedor, com tanta água sendo levada pelo vento e batendo no seu rosto sem dó! Ta aí uma das coisas que todo mundo deveria conhecer antes de morrer. Fiquei extasiada e pensando que a Garganta do Diabo era coisa de Deus mesmo.

Cataratas do Iguaçu

O passeio ainda terminou no restaurante Porto Canoas que fica lá no alto do rio Iguaçu, onde almocei vendo as águas tranquilas que já já iriam cair e formar tudo aquilo que tinha acabado de presenciar.

20140606_113424

Mas, a cereja do bolo foi no sábado, quando fomos embora numa manhã escura e cheia de nuvens carregadas. Chegando em casa fiquei sabendo que choveu tanto em Foz, que houve a maior vazão de águas da história das cataratas. O triste é que a natureza que encantou também destruiu muita coisa por lá.

20140606_113854

Enfim, por um dia eu não consegui ver, mas só de saber que eu tinha acabado de passar por ali já me senti fazendo parte dessa história. Ah, abriram as comportas de Itaipú também. E essa cena também ficou no quase, rsrs.

Posts Relacionados

Sobre o autor: Débora Bordin

Tenho mais (bem mais) de 30, sou jornalista (diplomada), radialista, blogueira, especialista em comunicação empresarial e de turismo sustentável, sagitariana, corintiana, matucha-pantaneira-carioca e turista. Apesar de tudo isso, uma boa moça.

3 Comentários+ Comentar

  • Parabéns Débora pelo Blog. É a minha primeira visita e gostei muito.
    Já estive em Foz e realmente esse lugar é impressionante e tem belos atrativos. Dos mencionados só não conheço o Parque das Aves e morro de vontade de conhecer.

  • Incrível. Morro de vontade de conhecer este lugar!

Leave a comment to Marcelo Ribeiro