jun
17
2011

O calor e a alegria de Corumbá!

Fiz uma enquete no blog pra saber sobre qual destino nacional as pessoas queridas gostariam de ler. Os candidatos: Morretes/Curitiba (PR), Caldas Novas (GO), Corumbá (MS) e São Paulo (SP). Corumbá ganhou com esmagadores 80% dos votos… Tenho uma leve impressão que rolou uma campanha dos corumbaenses! Hahaha

Bem, pra quem não conhece, CORUMBÁ fica no coração do Pantanal de Mato Grosso do Sul. Inclusive os moradores denominam a cidade como capital do Pantanal. É justo, pois a cidade é rodeada pelas belezas do santuário ecológico e no caminho pra chegar lá não faltam araras, tuiuiús, jacarés e até onças pela estrada.

A cidade Branca, como também é conhecida, tem muita história pra contar, como a ocupação e retomada na Guerra do Paraguai, a lenda de maldição do Frei Mariano que disse que a cidade não se desenvolveria até encontrarem suas sandálias (que foram enterradas ninguém sabe onde…). Além disso, a cidade tem uma cultura de fronteira muito arraigada, com forte influência boliviana e paraguaia.

Corumbá é a cidade onde o Brasil faz fronteira seca com a Bolívia e é caminho de muitos brasileiros que costumam ir ao país vizinho para compras em Puerto Quijarro. Mas, como boa boêmia que sou, o que mais gosto na cidade é o clima de festa… e minhas lindas amigas, claro. Talvez por ser uma cidade de altas temperaturas (chega facilmente aos 40 graus) qualquer coisa é motivo para sair de casa, para um happy hour, um churrasco… fora as festas anuais como o carnaval, o banho de São João e o FESTIVAL AMÉRICA DO SUL (FAS). Muito bom!

Falando em FAS, este evento já foi palco de momentos memoráveis. Minha amiga Laura Benites foi a anfitriã em 2009, quando montamos acampamento na casa dela e toda noite a alegria rolava solta nos shows e festas do Festival. Eu e a amiga Ana Mercedes quase nos convencemos que éramos malabaristas, com direito a amanhecer o dia às margens do Rio Paraguai jogando malabares ao som de qualquer música que tocasse, rsrs. O dia também amanhecia com pessoas felizes dando bom dia para a vizinhança e tirando fotos de carroças…

Outro momento marcante nessa edição do FAS foi nossa visita ao hotel onde estavam hospedados meus amigos sinceros Gustavo Del Pino, Paula Moresco, Camila Piacenti e Sissy Cambuim. O lugar preferido deles era a piscina dourada, onde bebiam cerveja o dia todo e não saíam de lá nem para ir ao banheiro… comentários nojentos à parte, alguém imagina o porquê do “dourada”? hahaha. O visual que se via de lá era o céu, a vegetação e os camalotes que desciam o Rio Paraguai. Alguns dizem que eles vinham de Ivinhema… (piada interna).

Com esses pequenos relatos particulares dá pra se ter uma idéia do quanto Corumbá pode ser divertida, rsrs. Mas quem gosta de uma vida mais tranquila, tem a opção de visitar os monumentos, museus, fazer um passeio de barco, pesca esportiva, comprar artesanato, passear pelo Forte Junqueira e pelo Porto Geral ou somente provar a culinária local, que é muito saborosa. Corumbá vale cada minuto passado por lá.

Quer ver mais fotos de Corumbá? Clique AQUI.

E clique AQUI para ver o vídeo sobre Corumbá, no quadro Tô de Folga do Jornal Hoje.

…….. x ………..

COMO CHEGAR:

(saindo de Campo Grande, capital de MS)

- De carro: ir pela BR 262. São cerca de 420 km e tem pedágio (cerca de R$ 5,00) para atravessar a ponte sobre o rio Paraguai. Tem ainda a opção de ir pela Estrada Parque Pantanal, mas só na época da seca e com segurança, pois não há muita coisa na estrada a não ser animais. É interessante procurar uma agência de viagens que conheça o trajeto.

- De ônibus: a Andorinha faz a rota e a passagem custa ente 70 e 80 reais.

- De avião: Táxi Aéreo Asta (que faz só Corumbá/Cuiabá) e Trip/TAM.

Posts Relacionados

Sobre o autor: Débora Bordin

Tenho mais (bem mais) de 30, sou jornalista (diplomada), radialista, blogueira, especialista em comunicação empresarial e de turismo sustentável, sagitariana, corintiana, matucha-pantaneira-carioca e turista. Apesar de tudo isso, uma boa moça.

3 Comentários+ Comentar

  • Um dia depois e o teste…
    parece que essas cidades de fronteiras são divertidas.
    O bom é que ler a história, parece que ler suas histórias diminui a distância entre os lugares e dá vontade de ir pq é logo ali ( de mineiro)… hahahha

  • Depreciações aquáticas à parte, Corumbá sempre rendeu bons momentos, seja no FAS, no Carnaval, num feriado qualquer e até mesmo a trabalho. Para quem não conhece, fica a dica de diversão garantida!!!

  • Dizem que quem bebe a água de Corumbá sempre volta…

Leave a comment to Sissy