out
4
2011

Rock in Rio: Eu fui!

Desde criança eu ouço falar em Rock in Rio. Em 1985, no alto dos meus 8 anos de idade, já tinha os olhinhos brilhantes com o alvoroço que ídolos como Freddie Mercury causavam nas pessoas. Em 1991, durante a adolescência regida por Axl Rose, eu e uma prima fazíamos planos para irmos ao maior festival de rock da nossa geração. Em 2001, a falta de grana e o trabalho não me deixaram ir. Enfim, por forças do destino, me mudo para o Rio de Janeiro no final de 2009… dessa vez não tinha desculpa!

Apesar das muitas críticas sobre a escolha de atrações, sobre o conceito alterado de um festival que era para ser de rock, só quem esteve lá para entender que no final das contas isso não importava muito. Claro que eu mesma não iria ver Cláudia Leite, rsrs. Mas, fui a um show que queria muito (Metallica) e em outro simplesmente porque ver Maná (!) era o sonho de uma amiga. O show principal da noite foi Cold Play, que eu também nem fazia muita questão… mas qual foi minha surpresa? Já conto, vamos por partes…

Frejat abriu a noite do Palco Mundo e a torneira da choradeira, hahaha. Ele tocou músicas de grandes artistas que se foram e muitas outras que nos fazem lembrar de pessoas e momentos, como eu lembrei de minhas amigas Ju e Stela (“Por que a gente é assim?”). Até levou o filho pra cantar com ele no palco. Em sua primeira participação no Rock in Rio, o Skank chegou chegando e fazendo todo mundo rodar a camisa pro alto. Até Negra Lee estava lá para cantar junto a música “Ainda gosto dela”, adorei! No Maná minha amiga Laura enlouqueceu… chorou de emoção e de raiva quando a bateria da máquina dela acabou, hahaha. Até Marron 5 teve seu valor e, mesmo quem tava menosprezando, cantou praticamente o set list inteiro, rsrs.

A minha surpresa… O show do Cold Play foi um dos mais emocionantes e lindos que eu já vi na vida! Sabe quando simplesmente não dá para conter as lágrimas e o sorriso no rosto? Foi assim. Descobri que eu amo Cold Play, rsrs. Como disse a minha amiga Cássia, o Chris Martin (vocalista) estava ali por prazer. Ele deu o melhor de si, se divertiu e se emocionou com o público. Sensacional.

Neste dia não assisti aos shows do Palco Sunset, mas os shows principais do dia 01 de outubro foram mesmo de arrepiar. Se eu tivesse dinheiro e saúde, eu teria ido em todos. Daqui dois anos, nem que seja em apenas um dia do Rock in Rio 2013, a minha presença está confirmada.

E viva o rock, bebê!

Posts Relacionados

Sobre o autor: Débora Bordin

Tenho mais (bem mais) de 30, sou jornalista (diplomada), radialista, blogueira, especialista em comunicação empresarial e de turismo sustentável, sagitariana, corintiana, matucha-pantaneira-carioca e turista. Apesar de tudo isso, uma boa moça.

10 Comentários+ Comentar

  • Toda vez que leio seu texto me emociono baleia……..lembro do skank também, foi quando o chopp subiu e a emoção desceu kkkkk, já tava segurando ochoro desde a hora que cheguei……….foram momentos intensos e inexplicáveis…só quemestav lá mesmo!!!!bjos

  • Debora simplesmente de mais sua descrição, como todos os seus textos envolventes e emocionantes, parabéns, sucesso sempre!!!!
    SDS

  • Mto lindo seu texto, realmente esse dia foram só fortes emoçoes do começo ao fim, cada cantor teve seu valor e nos fizeram dizer que valeu muito a pena e o quanto nos sentimos privelegiados por estar ali ao vivo naquele dia! Já gostava do Colplay, mas agora eu amooo….o final so show deles foi a hora que chorei, deu aquela sensação boa de felicidade! Com certeza fica a vontade de querer mais momentos assim, do Rock in Rio só guardo só coisas boas e se tudo der certo estaremos lá novamente em 2013!

  • Só a sensação de estar entrando no território do Rock in Rio já me bastaria….lógico que o primeiro a gente nunca se esquece (meus irmãos foram) mas ainda da pra se emocionar com grandes nomes que pintaram no atual como stevie wonder (fiquei brigando com sono mais assisti tudo), elton john, mas esperava mais do Guns….mas valeu, pros velha geração e pra nova….mas por favor o proximo que seje só rock!!!!

  • Maravilhosa a sua descrição, me fez reviver mais uma vez cada momento… Foi bom demais… Até a mãe do Rafael Frejat chorou. Hahaha!!!

    • Muito bom mesmo, Aninha!
      E a companhia foi a melhor :)
      Bjo bjo

  • “”…Por que a gente é assim?…” q momento especial minha amiga, muito feliz por vc!! e por saber que agora vc gosta de cold play (eu amo!!)

    bjos cheios de saudades :)

Seu comentário